Barriga estufada? Veja os cinco principais hábitos que causam isso

Barriga estufada? Veja os cinco principais hábitos que causam isso

Quem nunca foi dormir com a barriga de um jeito e acordou de outro? O estufamento acontece, principalmente, entre as mulheres, e, na maioria das vezes (ufa!), barriga estufada é inofensiva e não há muito com o que se preocupar. No entanto, é sempre recomendável procurar um médico, caso a situação persista, para que você possa receber as devidas recomendações para o seu caso

4 frases que você não deve dizer a alguém com crise de ansiedade

O inchaço da região pode ser causado por diferentes razões, desde alimentação até alterações hormonais. No primeiro caso, segundo explica a nutricionista clínica Fernanda Lopes, quando essa alimentação é desequilibrada, pode haver um acúmulo de ar ou de líquido no abdômen. “Isso pode gerar desconforto como flatulência (gases), eructações (arrotos), mal estar, indisposição, enjoos e náuseas”, diz.

Esses desconfortos poderiam ser evitados com algumas alterações na hora de cozinhar e de comer. Abaixo, ela explica os principais hábitos responsáveis pelo estufamento na barriga.

barriga estufada

Descubra os principais hábitos que deixam a barriga estufada:

1- Comer rápido demais

Esse hábito comum em dias com a agenda mais ocupada faz com que, ao comer, entre mais ar à boca, que se armazena no abdômen. Além disso, segundo a nutricionista clínica Fernanda Lopez, quando a mastigação não é bem feita, as enzimas salivares são impossibilitadas de agirem sobre a comida, gerando fermentação do alimento e ainda mais gases.

2. Ingestão de líquido durante as refeições

Esse hábito de ingerir líquidos durante as refeições é muito comum, porém, é bem provável que você já tenha ouvido falar que não faz bem. Explicamos: é que, durante a digestão dos alimentos, precisamos da ação do suco gástrico no estômago, para que alguns nutrientes possam ser quebrados e absorvidos. Mas com o excesso de líquidos durante as refeições, o suco gástrico fica diluído, comprometendo a acidez dele e, consequentemente, a boa digestão dos nutrientes.

O resultado disso são gases, flatulências, estômago dilatado e deficiência na absorção de nutrientes.

3. Ter uma alimentação com excesso de carboidrato refinado e doces

A nutricionista Fernanda Lopes explica que esses alimentos são desvitalizados e sem enzimas digestivas e, portanto, exigem muito do intestino. “Nesse processo, a força digestiva é reduzida e leva à produção de gases e distensão abdominal”, diz. Para evitar esse problema, ela recomenda uma ingestão maior de alimentos integrais.

4. Excesso e gordura no preparo das refeições

As frituras são preparações de digestão mais lenta, permanecendo portanto, mais tempo no estômago, o que também acaba causando inchaço abdominal.

5. Abusar dos temperos

Misturar vários temperos em uma única refeição pode resultar em um prato bem gostoso, mas também provocar inflamações como gastrite, doenças inflamatórias intestinais e alergias alimentares, doenças que prejudicam a metabolização e geram distensão abdominal. O importante é lembrar, que como em quase tudo na vida, excesso não é saudável.

Envie seu comentário