Comer vegetais e frutas tornam as pessoas mais felizes?

Comer vegetais e frutas tornam as pessoas mais felizes?

Comer vegetais e frutas nos deixam mais felizes? Verdade? Qual relação teria isso? Que vegetais e frutas fazem bem para a nossa saúde isso todo mundo já sabe, porém, de 60% a 87% da população mundial consome menos do que é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que seriam 400g ou cinco porções por dia.

Frutas e vegetais fazem parte da dieta saudável e nutritiva, mas seus benefícios não se limitam apenas à saúde física, vão muito além. Os estudos mostram, que o aumento do consumo de frutas e vegetais pode melhorar o bem-estar psicológico de uma pessoa em apenas 2 semanas. A líder do estudo Dra. Tamlin Conner (Departamento de Psicologia da Universidade de Otago, Nova Zelândia) e colegas cientistas, descobriram que pessoas adultas que comeram frutas e vegetais em grande quantidade que o costume diário, durante 14 dias, obtiveram uma melhora significativa na motivação e na vitalidade.

Os pesquisadores relataram recentemente essas suas descobertas na revista PLOS One.]

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, os adultos devem procurar ingerir menos uma quantidade equivalente a cerca de duas xícaras de frutas e três xícaras de vegetais diariamente.

Como parte de uma dieta saudável, frutas e vegetais ajudam a reduzir o risco de obesidade, diabetes do tipo 2, doenças cardíacas, AVC e alguns tipos de câncer.

Nos últimos anos, estudos realizados sugeriram que a ingestão de vegetais e frutas podem melhorar a saúde mental. A Dra. Conner e sua equipe buscaram investigar ainda mais essa associação.

Maior vitalidade e motivação com o aumento da ingestão de vegetais e frutas

O estudo teve duração de 2 semanas, os pesquisadores inscreveram 171 estudantes entre 18 e 25 anos, os quais foram divididos em três grupos.

O primeiro grupo continuou com seu padrão de alimentação normal. O segundo grupo recebeu duas porções adicionais de vegetais e frutas frescos diariamente (incluindo cenouras, kiwis, laranjas e maçãs), enquanto que o terceiro grupo restante recebeu vouchers de produtos pré-pagos e lembretes de texto informando para consumir mais vegetais e frutas.

No início e no final do estudo, os participantes foram submetidos à avaliações psicológicas que avaliaram o humor, a vitalidade, a motivação, a ansiedade os sintomas de depressão e outros determinantes da saúde mental e do bem-estar de cada indivíduo.

Os pesquisadores descobriram que os participantes que receberam vegetais e frutas extras e que ingeriram a maior parte desses alimentos ao longo dessas 2 semanas, com 3,7 porções diárias, esse grupo nitidamente apresentou melhorias no quadro de bem-estar psicológico. No modo geral, esses participantes apresentaram melhorias em sua vitalidade, motivação e desenvolvimento.

Os outros dois grupos não mostraram nenhum tipo de melhoria em seu quadro de bem-estar psicológico ao longo do período de 2 semanas de estudo.

Além disso, não foram observadas melhorias nos sintomas de ansiedade e depressão em nenhum dos grupos. “A maioria das pesquisas que ligam a depressão aos padrões alimentares tem sido longitudinal, o que significa que, possíveis diferenças podem ser estabelecidas durante um período de tempo muito mais longo do que nosso breve período de 2 semanas”, observam os autores.

Ainda assim, os estudos indicam que o aumento da ingestão de vegetais e frutas através da entrega pessoal pode levar a benefícios rápidos para o bem-estar psicológico.

Resumindo

A equipe conclui que: “Fornecer a jovens adultos vegetais e frutas de alta qualidade (sem ter que lembrá-los de comer ou qualquer outro tipo de incentivo), resultaram em melhorias no seu bem-estar psicológico, vitalidade, desenvolvimento e motivação em um curto prazo de 2 semanas. Este é o primeiro estudo a mostrar essa relação e todos os seus benefícios. Os resultados fornecem a validação inicial de uma relação causal entre vegetais e frutas bem-estar, sugerindo que estudos de intervenção em larga escala são justificados”.

Envie seu comentário