Economia doméstica: como reduzir o consumo de água na casa

Economia doméstica: como reduzir o consumo de água na casa

Analisando tudo que temos vivido nos últimos meses e anos, podemos dizer que estes eventos não são em vão. É que o ser humano não foi ainda capaz de compreender a natureza como um todo.

Infelizmente, muitas pessoas ignoram o fato de que os recursos são limitados e que os gastos excessivos põem a nossa existência na Terra em risco. Você, por exemplo, pensa em economia de água quando está na cozinha de sua casa?

Sim, tudo o que fazemos dentro de casa pode se refletir no mundo lá fora. Imagine que, se cada gota que escorre de uma torneira, pouco a pouco, enche um balde, quer dizer que o que você desperdiça pode fazer falta nos rios e lagos perto de sua cidade.

Claro, nosso planeta é conhecido como “planeta água”, mas o quanto dessa água é hoje potável não é suficiente para todos. E tratar custa caro.

Quando se fala em economia doméstica, também entra esta questão de se economizar mais água. Isto ajudaria no orçamento da família, no orçamento do município e também a preservar o meio ambiente. Quer coisa melhor?

Então, que tal aprender conosco, como é possível economizar mais água dentro de casa? Continue lendo e encontrará, a seguir, muitas dicas simples para pôr em prática hoje mesmo.
Menos consumo de água na cozinha e na lavanderia

Cozinha e lavanderia são dois dos ambientes em que as pessoas mais gastam água. E isto é inevitável. Afinal, estes são os cômodos mais funcionais das residências, onde as pessoas lidam com questões como a limpeza da casa e preparo de alimentos.

Durante estes processos, utiliza-se água. Mas se nos policiarmos para consumir menos, já ajuda a evitar os desperdícios desnecessários, não é mesmo?

Não é por mal, mas, às vezes, não nos damos conta do desperdício. Achamos que estamos fazendo o necessário, mas nem mesmo isto é suficiente, em nada mudando na conta de água e nos efeitos sobre a natureza.

Uma coisa que podemos fazer de diferente, pra começar, é colocar um redutor de pressão no bocal das tonteiras da casa. Alguns modelos, em especial, já vêm com esta peça.

Ajuda também se o modelo da válvula de abertura das torneiras instaladas é fácil de fechar, com um simples toque. Assim, o dono ou dona de casa, entre as suas atividades, pode controlar o gasto que faz de água.

E outra pergunta que sempre pode nos vir à cabeça é se vale mesmo a pena ter uma máquina de lavar louças na cozinha. A resposta é: depende.

Se você for lavar pouca louça e se a mesma ainda tiver uma sujeira fácil de limpar, é mais econômico lavá-la na pia. Panelas mais “incrustadas” de sujeira devem ser deixadas de molho como possível, mesmo se forem lavadas na máquina depois. Só assim conseguimos, de fato, o resultado de limpeza que tanto queremos, sem gastar mais água.

O mesmo pensamento pode ser replicado à limpeza das roupas. Peças menores, em pouca quantidade, podem rapidamente serem lavadas na mão. Já não compensa lavar grandes quantidades assim do mesmo modo, mesmo que de peças pequenas; ou lavar edredons e cortinas, por exemplo. O melhor, então, é colocar na máquina.

Existem, inclusive, máquinas de lavar roupa com diversos ajustes que garantem a economia de água. São, no caso, as variações de níveis de enchimento – baixo, médio e alto – e os ciclos econômicos, com um ou dois enxágues, realizando a reutilização da água.
Menos consumo de água nos banheiros e lavabos

Banheiros, incluindo lavabos, são também outros cômodos campeões de gasto de água dentro de casa. Mais uma vez, totalmente justificável, já que são nestes locais que faremos a nossa higiene íntima e o descarte de resíduos do nosso corpo. E podemos, sim, controlar a quantidade de água que gastamos na torneira da pia e no chuveiro.

Banheiras são equipamentos que podem substituir o banho tradicional brasileiro, em chuveiro – isto é muito comum em países da Europa e América do Norte. Mas, embora seja mais relaxante, pode gastar mais água.

Claro que isto vai depender de quanto tempo a pessoa fica normalmente embaixo do chuveiro. O ideal é que não passe de aproximadamente três ou quatro minutos – o tempo de uma música no rádio.

Outro equipamento gastador de água em banheiro é o vaso sanitário. Mas hoje já existem os modelos com caixa acoplada que vêm com um botão de acionamento com duas intensidades de descarga. Então, dependendo da necessidade, pode-se usar menos ou mais água.

Quem tem uma área aberta em casa, pode pensar na construção de uma minicisterna. A ideia é tentar reaproveitar a água da chuva.

Para isto será necessário instalar uma calha coletora de água no telhado da casa, com um cano que leve a água até um tonel de fibra ou plástico, passando por um filtro. Esta água recolhida não poderá ser bebida, mas poderá ser utilizada na limpeza da casa e no vaso sanitário.
Menos consumo de água nos outros ambientes da casa

Não pense que fazer limpeza de casa deve ser justificativa para desperdícios, não mesmo. Até neste momento deve-se ter atenção. E existem alguns truques que podem ajudar na economia de água.

Como dissemos antes, a água coletada da chuva, quando bem filtrada, pode servir para a limpeza da casa. E se você tem uma piscina limpa, pode pensar em utilizar esta água também, tanto para limpeza da casa quanto para o vaso sanitário.

Considere fazer isto no período do inverno, quando a piscina não estiver passando por nenhum tratamento mais forte de cloro – o que poderia danificar as superfícies limpas da casa.

Se preferir utilizar a água da torneira para limpar a casa, sem problemas. Mas podemos adotar o “sistema americano de limpeza”, por exemplo.

Por lá, as pessoas não jogam baldes de água nos pisos. Elas apenas borrifam um pouco da solução de água e desinfetante e passam suavemente o pano sobre as superfícies. Já para limpar rejuntes, usam um produto de ação mais rápida, também borrifando e gastando menos água.

Considere todas estas dicas que demos neste texto. É uma tentativa para tentar amenizar as consequências daquilo que fazemos contra a natureza. Mas saiba que, se cada um – incluindo você – fizer a sua parte, o mundo tem grandes chances de se tornar um lugar melhor de se viver.

Envie seu comentário