Estudo diz que pessoas que corrigem a gramática dos outros são chatas

Estudo diz que pessoas que corrigem a gramática dos outros são chatas

Um grupo de entendidos na matéria descobriu através de um estudo que as pessoas que passam a vida a corrigir os erros de gramática dos outros on-line são indivíduos com personalidades “menos agradáveis” do que aqueles que simplesmente ignoram esses mesmos erros.

Testes psicológicos revelam que estes indivíduos são geralmente menos abertos e tendem a julgar os outros pelos seus erros.

Shutterstock

Por outras palavras, essas pessoas são precisamente quem você pensava que eram.

Parece algo bastante óbvio e que na realidade já todos sabíamos, porém, de acordo com o artigo publicado pela PLOS One, foi a primeira vez que ficou demonstrado num estudo que os traços de personalidade de um indivíduo podem determinar como este se comporta perante erros gramaticais. Podemos assim aprender muito sobre como as pessoas se comunicam (ou se comunicam mal) on-line.

“Este é o primeiro estudo a mostrar que os traços de personalidade dos ouvintes / leitores têm um efeito sobre a interpretação da linguagem”, disse a pesquisadora Julie Boland, da Universidade de Michigan, EUA.

“Nesta pesquisa, examinámos os julgamentos sociais que os leitores fizeram a propósito dos autores”.

Foi pedido a 83 pessoas que lessem as respostas por e-mail a um anúncio de alguém que pretendia alugar um quarto em sua casa.

Essas 83 pessoas julgaram então a pessoa que havia escrito o e-mail com base na sua percepção de inteligência, simpatia e outros atributos, como o quão bons eles seriam como colegas de casa.

No final, foi-lhes perguntado se haviam notado erros gramaticais ou erros de digitação nos e-mails e, em caso afirmativo, o quanto isso os tinha incomodado.

Os investigadores pediram então aos participantes para completarem uma avaliação de personalidade – que serve para avaliar onde estão numa escala de abertura, amabilidade, extroversão / introversão, neuroticismo e nível de consciência – bem como responder a perguntas sobre a sua idade, histórico e atitude em relação ao idioma.

No geral, os extrovertidos eram geralmente muito mais propensos a ignorar tanto erros de gramática quanto erros de digitação, enquanto os introvertidos eram mais propensos a julgar os candidatos negativamente por causa dos erros.

As pessoas que se revelaram mais conscientes através do teste, mas menos abertas, eram mais sensíveis a erros de digitação, enquanto aquelas com personalidade menos agradável ficaram mais perturbadas pelos erros gramaticais.

“Talvez porque pessoas menos agradáveis ​​sejam menos tolerantes com os desvios das convenções”, escreveram os investigadores.

A pesquisa foi publicada na PLOS One.

Envie seu comentário